Núcleo dos Cirurgiões Pediatricos da Bahia

Imagem

Boa tarde Paciente / familiar. É um prazer recebê-lo em nosso site

Patologias

CLIQUE NAS ÁREAS MARCADAS ABAIXO [+] E SAIBA MAIS SOBRE CADA SEÇÃO.

cabeça e pescoço
tórax
abdomen
membros superiores
pelvis e aparelho gênito urinário
membros inferiores

Constipação Intestinal Crônica


DEFINIÇÃO

É o hábito intestinal lentificado, caracterizado por 2 ou mais semanas, com retardo na eliminação de fezes (frequência menor que 03 evacuações por semana) e dificuldade ou desconforto persistentes relacionados à evacuação (mais de 2 vezes por semana), dor e sangramento, eliminação de fezes duras e/ou volumosas, escape fecal involuntário (pseudoincontinência).
A constipação crônica atinge 3% das consultas pediátricas e 10 a 25% das consultas de gastroenterologia pediátrica. É mais comum no sexo feminino, mas esta proporção varia conforme a idade do paciente, chegando a igualar-se. Divide-se em funcional (95%); orgânica ou medicamentosa (5%) e doença de Hirschprung (DH) e variantes (menos de 1% dos casos cujo primeiro sintoma foi constipação).
Possui uma etiologia multifatorial, que inclui fatores dietéticos, psicológicos, sociais, e constitucionais herdados.

Dentre as causas orgânicas destacam-se:
•Lesões dolorosas anais: Fissura, fìstula
•Disfunção mecânica: Tumor, estenose anal, ânus anterior.
•Anormalidade colônica neurogênica e miogênica: Doença de hirschsprung (megacólon congênito), hipogangliose, displasia neuronal.
•Neurológica: Doença da medula espinhal, paralisia cerebral.
•Doença endócrina e metabólica: Hipotireoidismo, hipercalcemia, diabetes insípido, acidose renal.
•Medicamentosa: Fenitoína, fenotiazida, imipramina, xarope de codeína, anti-ácidos à base de hidróxido alumínio, analgésicos derivados da morfina, etc.


DIAGNÓSTICO:

•História e exame físico: exame neurológico alterado, distensão abdominal, massas palpáveis em abdome, exame anorretal (presença “plicoma sentinela”, fissura), toque retal é fundamental.

•Rx de abdome: Presença de fecaloma, dilatação de alças intestinais, distensão gasosa dos cólons, defeitos da coluna lombo-sacra.
Caso haja suspeita de causas orgânicas com base na investigação inicial ou falta de melhora após tratamento adequado, faz-se uma investigação mais detalhada de acordo com o fluxograma abaixo:

TRATAMENTO:


O tratamento da constipação intestinal crônica inclui os seguintes objetivos:


•Educação: hábito alimentar, hábito evacuatório.
•Desimpactação fecal: Feito através de enemas de fosfato hipertônico ou salinos seriados.
•Manutenção (prevenção do reacúmulo de fezes): Inclui orientação dietética e utilização de laxantes.
•Recondicionamento dos hábitos intestinais.
•Cirurgia: Nos casos de megacólon congênito, constipação intestinal grave e no controle das suas complicações.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.
1)Maksoud, João Gilberto. Cirurgia Pediátrica, segunda edição.RJ: revinter,2003
2)Souza, João Carlos Ketzer. Cirurgia pediátrica- teoria e prática- São Paulo: Roca, 2007

LOCAIS PARA ATENDIMENTO PÚBLICO (SUS)

1. Martagão Gesteira

2. Obras Sociais Irmã Dulce

3. Centro Pediátrico de Roma

LOCAIS PARA ATENDIMENTO PRIVADO (CONVÊNIO-PARTICULAR)

1. Hospital Santa Izabel

2. Ceci- Clínica de Especialidades Pediátricas

3. CEMIB –Clinica Especializada Materno Infantil da Bahia

4. Memorial Itaigara

5. Hospital Aliança

6. Hospital Jorge Valente

7. Hospital São Rafael

8. Hospital Tereza de Lisiuex – Hapvida

9. Hospital Santo Amaro

10. Uniday

 

"Para mais informações procure o seu Cirurgião Pediatra"

"Em nenhuma circunstância as informações aqui publicadas substituem a consulta com o seu médico"

NÚCLEO DE CIRURGIÕES PEDIÁTRICOS DA BAHIA
Rua Altino Sebeto de Barro, 173 - Sala 1202, Edf. Atlantis Multi Empresarial - Bairro Itaigara - CEP 41870-570 - Tel.: (71) 3506-5684. Acesso Restrito Administração. Desenvolvido por RanderNet